leite + amor = queijo

Para fechar o capítulo Kulmbach: os queijos!

Bom, para quem não sabe, fazer queijo requer um monte de detalhes técnicos, precisão de tempo e temperatura, limpeza extrema e muita paciência. Mas decidi nos poupar de tudo isso e colocar aqui somente as principais etapas da produção de um queijo, e um pouco da boa sensação sobre os leites e seus queijos. A começar pelo mamar! Tem alguma coisa mais gostosa?

   

Mamíferos à parte… para fazer queijo é até simples, pode tentar em casa, mesmo sem a companhia de um adulto, não tem perigos!

A gente aquece o leite e coloca iogurte ou, aqui, butter milch, que é uma coisa maravilhosa aqui da Alemanha, o sabor é como de uma mistura de iogurte com creme de leite fresco. Este produto é o leite que se separa do creme de leite quando o batemos para fazer manteiga. Maravilha ter isso disponível assim, né? É como um creme de leite light, azedinho como iogurte.

Depois de algumas horas temos quase um iogurte. Mantendo a temperatura, colocamos o coalho. Esperando mais algumas horas e leite está coagulado como um flan, e aí podemos cortar.

   

Depois de cortar, esperaramos novamente um tempo e o soro sobe. Se você quer um queijo mais fresco, pode colocá-lo logo depois nas forminhas e consumir rápido, se quer um queijo mais duro, que pode envelhecer umas semanas, mexe-se para retirar ainda mais soro. É o caso deste da foto. Outra dica para escolher entre queijo mais fresco ou mais duro é o tamanho dos cubinhos cortados: quanto menores, mais soro se retira, mais duro fica o queijo.

   

Depois colocamos nas formas para escorrer o soro. Depois de 15 minutos, viramos o queijo, depois de meia hora, novamente, e assim vai: uma hora, duas horas, quatro horas, oito horas…. Até que você sente vontade de retirá-lo da forma, seja para curar ou para comer. Olha que maravilha!

   

O processo acima foi feito com leite de vaca. A etapa do butter milch ou do iogurte pode ser suprimida, passando diretamente para o coalho. Causando uma diferença no queijo que eu ainda não consegui notar, já que nossa experiência foi muito mais sinestésica que termométrica.

Fizemos também bastante queijo com leite de ovelhas e com leite de cabra. Olha que lindas!

   

O leite de cabra fica bem molinho para cortar e o de ovelha mais parecido com o de vaca, firme.Na foto abaixo, os cubos de leite-flan de ovelha, cortados bem grandes, para obtermos um queijo fresco. E a primeira virada na forma, depois de 15 minutos.

   

E o queijo de cabra, bem cremoso, na primeira e única virada, antes de virar comida boa! E do lado direito um outro exemplo de queijo de cabra fresco, porém mais firme, que teve cubinhos menores antes de ir para a fôrma, e mais viradas na fôrma.

   

As fotos 1 e 2 são da Lara. E as fotos 3, 4, 5, 8, 9 e 14 são da Lynn. Obrigada, meninas!

Anúncios
Esse post foi publicado em blog. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s